Conduta obsessivas na infância

16/01/2017 18:34

Conduta obsessivas na infância

 

As condutas obsessivo-compulsivas podem manifestar-se em qualquer idade. As manias são costumes e condutas que se repetem muito frequentemente, e que ajudam a criança a controlar alguns acontecimentos externos. À medida que vai crescendo, essas rotinas podem continuar ou reforçar-se, e outras desaparecem, já que as manias que duram muito tempo ou que se reforçam muito, podem começar a interferir na vida diária normal da criança, e converter-se em obsessões.

As obsessões são idéias ou pensamentos repetitivos, inquietantes, desagradáveis e não desejados, que surgem insistentemente e de forma incontrolável na mente da criança, causando-lhe um temor persistente e um alto grau de ansiedade.

As condutas obsessivas mais frequentes na infância

As obsessoes das crianças

As condutas obsessivas mais frequentes nas crianças são:

- Lavar-se com muita frequencia;

- Receio ou preocupação em pegar uma doença;

 

- As condutas repetitivas para deitar-se ou vestir-se;

- Na hora de dormir pedem aos pais que contem sempre as mesmas histórias e contos, de forma insistente;

As crianças no colégio podem desenvolver rituais em grupo quando aprendem a brincar, a praticar esportes em equipe. As crianças maiores e os adolescentes começam a colecionar objetos e a desenvolver atividades favoritas. São sintomas transitórios associados ao desenvolvimento, à auto-afirmação e á constituição como indivíduo.

Meu filho é obsessivo?

Considera-se que as crianças têm um transtorno, quando essas manias, obsessões e compulsões ocupam tanto o tempo durante o dia, que lhes atrapalham o funcionamento normal, e interrompem de modo significativo suas atividades cotidianas.

Quando as crianças não podem fazê-las, sofrem uma ansiedade desmedida, que elas manifestarão em choros, gritos, puxões de cabelo, conduta agressiva consigo mesmas ou com as demais, etc.

No transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) nas crianças, predominam os comportamentos compulsivos diante dos pensamentos obsessivos.

Diagnóstico e tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo

O diagnóstico precoce da enfermidade, assim como a aplicação de um tratamento especial quando se observam os primeiros sintomas contribui para aumentar a qualidade de vida da criança e a prevenir que o transtorno se desenvolva a um estado mais sério. Para poder realizar o diagnóstico é muito importante o apoio e o envolvimento dos pais.

Para acalmar a ansiedade provocada pelo pensamento obsessivo, realiza-se a compulsão. Uma compulsão é um comportamento ritualizado que leva muito mais tempo que o normal, de forma repetitiva e sem interrupção.

O tratamento do TOC mais efetivo e recomendável seria combinar a terapia psicológica e medicamentos. O tratamento psicológico inclui técnicas cognitivas e de condutas:

- As técnicas cognitivas ajudam a criança a identificar e compreender seus medos e a aprender novas formas de resolvê-los ou diminuí-los sem sentir a ansiedade que lhes provocavam e as levavam à compulsão como forma de se evitá-las;

- As técnicas de condutas ajudam a criança e suas famílias a fazerem tratos ou colocar regras para limitar ou mudar comportamentos. Os medicamentos que se usam para tratar o TOC são inibidores seletivos da reabsorção da serotonina que servem como paliativo dos pensamentos obsessivos e portanto melhorar as condutas compulsivas; e sempre devem ser indicados sob supervisão do pediatra.

Os pais de uma criança obsessiva

Os pais têm um papel de apoio vital em qualquer processo de tratamento, apoiando a criança em todas as etapas do transtorno e do seu tratamento. As crianças se sentirão muito mais seguras, se contam com a paciência e o apoio dos pais. O tratamento, neste caso, fluirá.

Este artigo foi enviado  por Blanca Betes Tejero