DICAS DE SEGURANÇA

20/09/2011 11:12

DICAS DE SEGURANÇA  

 

 

Para os Pais

  • Nos passeios manter-se atento e não descuidar das crianças;
  • Procurar conversar todos os dias com os filhos, observar a roupa que vestem e se apresentam comportamento diferente;
  • Fique atento à mudança de comportamento de seu filho, pois isto pode indicar que o mesmo poderá fugir de casa;
  • Uma boa conversa com seu filho pode livrar você de momentos de angústia e desespero;
  • Procurar conhecer todos os amigos do seu filho, onde moram e com quem moram;
  • Acompanhá-los a escola, na ida e na volta, e avisar o responsável da escola quem irá retirar a criança;
  • Colocar na criança bilhetes ou cartões de identificação com nome da criança e dos pais, endereço e telefone, orientar a criança quanto ao uso do cartão telefônico, bem como fazer chamadas a cobrar para pelo menos três números de parentes, e avisá-los desta orientação;
  • Não deixar as crianças com pessoas desconhecidas, nem que seja por um breve período de tempo, pois muitos casos de desaparecimento ocorrem nestas circunstâncias;
  • Fazer o mais cedo o possível a carteira de identidade no Instituto de Identificação do seu Estado;
  • Manter em local seguro, trancado e distante do alcance das crianças arma de fogo, facas, qualquer objeto ou produto que possa colocar a vida delas ou outras pessoas em risco;
  • Orientar as crianças a não se afastar dos pais e fiscalizá-las constantemente;
  • Ensiná-las a sempre que estiverem em dificuldade a procurar uma viatura policial, ou um policial fardado (PM ou Guarda Municipal), e pedir ajuda;
  • Evitar lugares com aglomeração de pessoas;
  • Perdendo a criança de vista, pedir imediatamente ajuda a populares para auxiliar nas buscas e avisar a polícia.

Meu filho desapareceu, o que devo fazer?

  • Em primeiro lugar, tente manter a calma;
  • Caso esteja sozinho, peça auxilio para que acionem imediatamente a polícia. Não existe prazo para comunicar o desaparecimento, faça-o imediatamente;
  • Manter alguém no local onde a criança foi vista pela última vez, pois ela poderá retornar ao local;
  • Deixar alguém no telefone indicado no cartão de identificação da criança, até para centralizar informações;
  • Avisar amigos e parentes, o mais rápido possível, principalmente os de endereço conhecido da criança, para onde ela possa se dirigir;
  • Percorrer os locais de preferência da criança;
  • Ter sempre a mão foto da criança;
  • Ter sempre em mente a vestimenta da criança para descrevê-la, procurando vesti-la com roupas detalhadas, de fácil visualização e identificação (cores berrantes, desenhos, etc…);
  • Procurar a Delegacia e Conselho Tutelar e pedir auxílio.

 Motivos mais comuns de desaparecimentos

  • Repressão excessiva, excesso de controle;
  • Castigos excessivos e exagerados, desproporcionais ao fato. Ex: a criança comete uma pequena falta e leva uma surra;
  • Desleixo dos pais, a criança sente-se rejeitada e desprezada e foge para chamar a atenção;
  • Muitas das fugas do lar têm por motivos o mau desempenho escolar, as responsabilidades domésticas que são atribuídas a elas e até mesmo pequenos ofícios, como venda de doces e salgados;
  • O espírito aventureiro também é um dos grandes responsáveis pela fuga de crianças.
  • Subtração de incapaz (A criança é raptada para viver em outro lar)
  • Rapto consensual
  • Rapto por estranhos

 CRIANÇAS E PESSOAS DESAPARECIDAS – COMO AJUDAR?

  • Observar o comportamento de novos vizinhos em relação ao tratamento dispensado aos menores que com eles convivem, comunicando à Polícia qualquer fato suspeito.
  • Observar, em via pública, o trânsito de menores desacompanhados, idosos e portadores de necessidades especiais, caso apresentem desorientação, possibilidade de extravio ou mesmo dificuldade de expressão, comunique o fato à Polícia para que prestem a devida assistência antes que ocorra o seu paradeiro. O ideal é que você possa levar a pessoa até o posto policial mais próximo.
  • Comunicar e registrar o desaparecimento do menor ou do adulto, imediatamente após constatada a sua ausência, na Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida. Deve-se apresentar fotografia e documentação do ausente, para início da busca. Para o menor, é necessária a apresentação da cópia da certidão de nascimento. No entanto, a ausência do documento não impede o registro e a busca.
  • Caso ocorra o retorno voluntário do desaparecido ao lar, contatar a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, comunicando o fato.

     

Fonte: Sicride E Polícia De MG, Com Adaptações Do Blog Diga Não À Erotização Infantil