TRABALHANDO COM FANTOCHES

15/08/2011 20:29

TRABALHANDO COM FANTOCHES 

 

Estes aí são: Jujuba e Léo! rsrsrsr 

Os fantoches são extremamente úteis ao Ministério Infantil. Se você conta história para crianças precisa também fazer uso desse método. A idade mais apropriada para trabalhar histórias com fantoches é para as crianças que tenham entre 0 a 8 anos.

Como adquirir o boneco?

Você poderá comprá-los em lojas evangélicas, ou em lojas que vendam materiais didáticos e pedagógicos, na internet também você encontra. Ou, se preferir, crie seus próprios os fantoches. Os mais bonitos são os fantoches de espuma. Mas, você pode fazer um fantoche mais simples usando materiais recicláveis, pode criar um fantoche de feltro, o custo será bem barato. Sempre tem alguém no Ministério Infantil que tem aptidão para trabalhos manuais. No cantinho de ideias, nesse site, postei como fazer fantoches de feltro, de meia e até de caixa de leite.

Os fantoches mais simples podem ser elaborados pelas próprias crianças; que tal criar uma oficina de fantoches com a garotada? Será uma atividade dinâmica e divertida. Você precisa de no mínimo dois fantoches para começar, um casal de preferência.

 

Em qual ocasião posso fazer uso desse método?

Os fantoches podem ser utilizados na apresentação da mensagem bíblica no culto infantil. Você pode apresentar a mensagem bíblica através dos fantoches. Se você tem dois fantoches: crie um diálogo entre eles para a apresentação da mensagem. Pode utilizá-los somente no final da mensagem, para fazerem perguntas às crianças ou o apelo. Em qualquer evento para as crianças você pode trabalhar com os seus "bonecos". Mas, atenção - Não use com muita freqüência, pois as crianças perderão o interesse. No ministério infantil todo dia tem que ser uma novidade.

 

Como fazer o teatrinho com os fantoches?

Veja as dicas:  

1 – Se você não tem muita experiência em trabalhar com fantoche ensaie antes de apresentar às crianças. 

2 – Encontre um parceiro, trabalhar em dupla é muito bom (ensaiem juntos). 

3 – Com o passar do tempo, você e o seu parceiro (a) criarão as histórias na hora, mas enquanto isso não ocorre escreva um diálogo.

4 – Cuidado com a voz, cada boneco é um personagem diferente, então a voz e o temperamento de cada um tem que ser diferente também.

5 – Os nomes dos bonecos podem ser escolhidos pelas crianças, ou por você. Contudo, tem um detalhe muito importante: se você for mudar o nome de acordo com a história, terá que mudar algo no boneco também, pois a criança memoriza o nome. Em uma igreja ocorreu o seguinte: a professora contava a história de José e usou um fantoche para representar José, depois de alguns dias ela foi contar a história de Daniel e usou o mesmo fantoche, sabe o que uma criança pequena falou bem alto? - Tia esse aí não é Daniel não, esse aí é o José! 

6 – Dê uma pincelada de humor na historinha. A história que você apresentar representada por fantoches poderá ser engraçada. Você pode trabalhar conceitos sérios, entretanto em algum momento da história o fantoche pode fazer algo engraçado, além de educar, o teatro de fantoche é para divertir a galerinha. 

7 – O ideal é ter um palco, com uma cortina, você e o seu ajudante ficarem atrás. Improvise - prenda um pano escuro e fique atrás.

8 – Se puder peça alguém para filmar a sua apresentação de fantoches, aí você verá se está legal. 

9 – Cuidado com a manipulação dos bonecos. Abrir e fechar a boca na hora certa é fundamental, quanto mais alto o boneco “falar” maior será a abertura da boca do fantoche. Outro detalhe: quando o fantoche se dirigir às crianças, você precisa direcioná-los às crianças, já quando os personagens conversam entre si, um fantoche precisa “olhar” para o outro. 

10 – Mãos à obra!

Veja como eu trabalho com os fantoches. 

Eu só possuo dois fantoches, uma menina de corpo inteiro e um menino de cabeça, tronco e braços. Não gosto dos fantoches que são somente cabeças, mas se você achar legal, poderá adquiri-los, são mais baratos. Os nomes dos meus fantoches - A menina chama-se Jujuba, criei alguns nomes e as crianças votaram. O menino chama-se Léo. Não utilizo os fantoches como personagens bíblicos, eles são sempre a Jujuba e o Léo, eu crio uma situação que tenha a ver com o conteúdo abordado e trabalho valores com as crianças. A Jujuba tem um temperamento alegre, escandaloso, ela fala alto e é muita vaidosa, se acha linda. Jujuba é convertida e ama evangelizar. O Léo vive "dando bobeira" para o pecado e sempre aprende algo novo sobre o Senhor Jesus com a Jujuba. O temperamento do Léo é meio resmungão, ele fala algumas gírias. As crianças riem bastante do Léo. Acho assim melhor, você cria um personagem partindo da realidade da criança. Para trabalhar nas histórias bíblicas use os fantoches mais simples.

 

Veja no cantinho de ideias como fazer o seu fantoche!